Comer pimenta afasta problemas de saúde e se vive mais!



Oi gente! Tudo mundo que convive comigo sabe que adoro pimenta e a incluo em vários alimentos durante o dia, seja em forma de molho ou a própria pimenta vermelha. E hoje, no jornal da manhã, tive a sorte de ver uma matéria interessantíssima. Se quiser assistir, clique no link: quem come pimenta vermelha regularmente vive mais, diz pesquisa. Assim, incluir pimentas na alimentação diária pode ser o segredo para viver por mais tempo, com mais saúde e ainda mais feliz. Venha logo conhecer seus inúmeros benefícios:


O Dia Internacional da Comida Picante foi comemorado em 16 de janeiro. Um estudo da Universidade de Vermont sugere que as pessoas que comem  pimentas malaguetas têm um risco de morrer 13% inferior ao das pessoas que não consomem este alimento picante.


De acordo com este estudo a comida apimentada parece afastar problemas cardiovasculares e derrames.

Para este estudo os investigadores examinaram os hábitos alimentares de 16.000 americanos durante 23 anos. Durante esse tempo 4.946 pessoas morreram. A mortalidade para as pessoas que consumiam malaguetas foi de 21,6% comparativamente com 33,6% nas pessoas que não consumiam malaguetas – uma diferença de 12% que quando ajustada tendo em conta outros parâmetros sobe para 13%, segundo reporta o Daily Mail.

A pesquisa não aponta uma causa, mas sugere que a explicação pode estar na capsaicina, substância responsável pelo ardor da pimenta e que age sobre os vasos sanguíneos, melhorando a circulação e regulando a pressão arterial. Com isso, diminuem os riscos de infarto e acidente vascular cerebral, o AVC.

E não pára por aí! Olha o que  pimenta vermelha ainda pode fazer por você:


Efeitos da Capsaicina contidos na pimenta vermelha:

A capsaicina tem atividade anti-inflamatória e analgésica, podendo ser utilizada para o tratamento de dores causadas por doenças reumáticas. O composto também tem efeito antioxidante e protetor do sistema cardiovascular.

Outras propriedades da capsaicina:


Fortalece o sistema Imunológico;
Previne determinados tipos de câncer;
Acelera o metabolismo;
Previne o diabetes;
Descongestiona as vias nasais;
Melhora a circulação;
Combate a depressão.

Onde encontrar?


Como mencionamos acima, quanto maior a ardência de uma pimenta, maior será o seu teor de capsaicina.


Algumas das pimentas mais fortes do Brasil são: 

pimenta malagueta

  
pimenta cumari
chili (uma variedade da malagueta)

pimenta- de-cheiro (algumas variedades são mais ardidas que outras)

pimenta dedo-de-moça 

pimenta caiena

É muito importante que leia com atenção os demais benefícios que a capsaicina contida nas pimentas provocam:

–Auxilia no emagrecimento

É claro que seria ótimo poder acrescentar apenas um pedacinho de pimenta à dieta e em pouco tempo começar a ver as gorduras derreterem. Mas, se por um lado não podemos afirmar que a capsaicina emagrece, a boa notícia é que a substância pode sim ser uma boa aliada da perda de peso.

Ou seja: a capsaicina tem propriedades que a tornam uma ótima adição ao cardápio de quem está com alguns quilos a mais. Entenda como a capsaicina pode ajudar na luta contra a balança:

– Redução do Apetite


Um estudo publicado em 2009 no periódico científico Clinical Nutrition demonstrou que a capsaicina pode promover uma redução do apetite.

No experimento, desenvolvido com 27 participantes saudáveis, pesquisadores observaram que a combinação capsaicina + chá verde ajudou os voluntários a sentirem menos fome. E, como resultado, houve um consumo menor de calorias ao longo do dia.

Outra pesquisa publicada no mesmo ano (desta vez no European Journal of Nutrition) sugere que um dos mecanismos (o outro seria a modulação de genes envolvidos com a saciedade) pelos quais a capsaicina pode controlar o apetite é a inibição da liberação de grelina, um hormônio que aumenta a sensação de fome.

Por último, conforme um artigo publicado no New York Times, comer um molho apimentado antes da refeição pode resultar em uma ingestão de até 200 calorias a menos durante o prato principal.

– Acelera o Metabolismo

Além de reduzir a vontade de comer, a capsaicina também acelera o metabolismo. De acordo com uma ampla revisão científica publicada em 2012 na revista Appetite, a substância pode aumentar o gasto energético do organismo em até 50 calorias.

Este resultado pode ser explicado pelas propriedades termogênicas da capsaicina. O composto químico se liga aos receptores de calor na pele e aumenta a temperatura corporal. E o que isso significa?

Para quem está tentando emagrecer, um aumento do metabolismo se traduz numa maior mobilização das reservas de gordura. Ou, de maneira resumida, a capsaicina ajuda a queimar gordura pois eleva a temperatura do organismo.

–Queima a  Gordura

Mais um dos benefícios da capsaicina para a perda de peso: ela dificulta o acúmulo de gordura no corpo.

Em uma pesquisa publicada em 2010 no Journal of Proteome Research, animais de laboratório foram divididos em três grupos: dieta normal, dieta com alto teor de gordura e dieta com alto teor de gordura + capsaicina.

Ao final do estudo (que teve a duração de dois meses), foi constatado que todos os animais engordaram. Porém, o grupo que recebeu capsaicina ganhou 8% menos peso que os demais animais.

Para os cientistas autores da pesquisa, esses valores são um resultado direto da ação da capsaicina, que regula genes envolvidos no processo de acúmulo de gordura.

Portanto, a capsaicina não apenas queima as gorduras previamente estocadas no organismo, como também impede que novas reservas sejam formadas (sobretudo na região abdominal).

Outros benefícios da capsaicina:



– Melhora o Humor


Já escrevi um artigo sobre os alimentos que melhoram o bom humor aqui, confira! O corpo reage à sensação de “queimação” gerada pela capsaicina através da liberação de endorfina, um neurotransmissor que impede que os neurônios transmitam os sinais de dor.

Ao mesmo tempo, o cérebro também libera dopamina, outro neurotransmissor que, assim como a dopamina, exerce um efeito relaxante e está associado à sensação de bem estar.

Para muitos, aliás, essa seria uma das explicações possíveis para o hábito que muitas pessoas têm de consumir pimentas extremamente picantes (a recompensa pelo “sacrifício” seria uma melhora do astral).

– Efeito Antioxidante e Anti-inflamatória


Estudos publicados na última década têm comprovado as propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias da capsaicina.

A substância inibe alterações bioquímicas induzidas pela exposição à radiação, e reduz a oxidação dos lipídios (prevenindo, entre outras condições, um aumento do colesterol LDL) e proteínas.

A capsaicina também tem a capacidade de minimizar a perda de função das enzimas superóxido dismutase (SOD) e glutationa peroxidase, duas poderosas defesas antioxidantes do organismo.

Portanto, além de combater danos celulares causados pelos radicais livres gerados pela radiação, a capsaicina também serve para proteger o organismo contra o estresse oxidativo causado pelos raios ultravioleta, poluição e substâncias químicas encontradas nos alimentos.

– Controle da Glicose

Segundo um estudo publicado no prestigioso American Journal of Clinical Nutrition, a capsaicina pode ser bastante benéfica para portadores de diabetes.

Na pesquisa, cientistas observaram que refeições contendo pimenta promoviam uma redução na quantidade de insulina necessária para baixar os níveis de glicose.

Ou seja, a capsaicina melhora o metabolismo da glicose, prevenindo quadros de hipo ou hiperglicemia.

– Analgésico natural

A estrutura química da capsaicina estimula terminações nervosas sensíveis à dor, o que, evidentemente, causa a sensação desconfortável que sentimos após comer uma pimenta bastante ardida.

Os neurônios que foram ativados pela capsaicina liberam um neurotransmissor conhecido como “substância P”. Esta, por sua vez, transmite a sensação de dor para o cérebro. E como a capsaicina funciona para reduzir a dor?

Ao promover a liberação de uma grande quantidade de substância P, a capsaicina reduz drasticamente a quantidade do neurotransmissor disponível para sinalizar outros processos dolorosos.

Como resultado, ainda que uma determinada parte do corpo esteja tentando enviar um sinal de dor para o cérebro, o desconforto será amenizado, já que a comunicação ficou prejudicada pela ausência de substância P.

Essa propriedade da capsaicina torna-a uma alternativa para o tratamento da artrite, fibromialgia, neuropatia diabética, lombalgia, psoríase e até mesmo dores musculares.

– Protege o coração


Pesquisadores da Chinese University of Hong Kong descobriram que a capsaicina reduz os níveis de colesterol no sangue. Ao mesmo tempo, a substância bloqueia um gene que promove a contração das artérias (efeito que poderia causar um perigoso bloqueio para a passagem de sangue).

Outros estudos têm demonstrado que animais que são suplementados com capsaicina apresentam uma redução nas taxas de colesterol e de triglicérides.

Como níveis alterados de colesterol LDL e triglicérides são dois dos principais fatores de risco para as doenças cardiovasculares, estes resultados indicam que a capsaicina pode ser utilizada (em combinação com outras medidas) para prevenir complicações cardíacas.

– Previne o Câncer

Alguns dos efeitos da capsaicina mais promissores parecem estar no combate ao câncer.

Quando expostos ao composto químico, tumores de próstata encolheram em até 80%. Outras pesquisas demonstraram que a capsaicina é capaz de destruir células de câncer de pulmão e pâncreas.

A capsaicina produz esse efeito porque induz a apoptose celular – ou a morte programada das células cancerígenas.

– Reduz a pressão arterial


Uma série de estudos sugere que a capsaicina pode ajudar a controlar a pressão arterial. Em um dos mais recentes, publicados no periódico Cell Metabolism, pesquisadores observaram que o consumo de capsaicina em longo prazo foi o responsável por uma redução na pressão de ratos geneticamente hipertensos.

Para os autores do estudo desenvolvido na China, a capsaicina tem esse efeito porque é capaz de ativar determinados canais no interior das artérias. Como resultado dessa ativação, há um aumento na produção de ácido nítrico, um gás que protege os vasos sanguíneos contra possíveis inflamações e danos oxidativos.

Além disso, o óxido nítrico também promove uma dilatação das artérias – efeito que melhora a circulação e influencia diretamente na pressão arterial.

Precaução:


Quando utilizada de maneira adequada, a capsaicina não traz efeitos colaterais. Em algumas pessoas, no entanto, a substância pode causar desconforto gastrointestinal.

Caso a opção seja pelo uso tópico do composto, é possível que uma sensação de queimação esteja presente por alguns minutos após a aplicação do creme de capsaicina. Doses elevadas do produto podem irritar a pele e até mesmo causar bolhas.

Lembre-se de sempre consultar seu médico antes de iniciar o tratamento com capsaicina.

        Aqui tem mais informações sobre as pimentas:
Imagens do Google Imagens


8 comentários:

  1. Vivendo e aprendendo, Adriana. Eu gosto de pimenta, mas nada exagerado. E quantos benefícios, hein. Adorei me informar aqui. bjão!!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sérgio, que bom que aprendeu sobre os benefícios da pimenta amigo!
      Aquele ardido nos oferece muita saúde!
      Tenha um final de semana maravilhoso! :)))

      Excluir
  2. Sou fã de pimenta desde de pequeno,aprendi a gostar com meus pais,que também amam pimenta!Além da pimenta ser muito boa para a saúde, ela acentua o sabor dos alimentos. Eu e a minha esposa adoramos pimenta e a consumimos bastante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Alfeu, como vai?
      A pimenta é milagrosa né amigo? Assim como eu você também é super fã pelo visto e sabe dos benefícios contidos neste incrível condimento e tempero! Sem falar que é uma delícia!!!
      Desejo um ótimo final de semana amigo e obrigada pela presença! :)

      Excluir
  3. Sempre a descobrir coisas novas,bem aqui nós chamamos a isso malaguetas, pimenta aqui é uma semente pequena, em grão ou muída. Em minha casa utilizo o píripir é uma malagueta mas pequena geralmente existe em África.O que chama de pimenta de cheiro, aqui é o pimentão da horta,utilizamos em refeições, mas é muito bom assado e fazer salada, geralmente nós assamos e podemos congelar para consumir mais tarde. Boas dicas que tem o seu blog.Bjinho e bom fim de semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Antônio Batalha!! Muito obrigada pela presença!!

      Que ótima dica amigo, a pimenta píripir deve ser maravilhosa e possui um ardido especial! Gostei muito dessa sugestão e vou pesquisar sobre essa pimenta!!
      Que beleza o pimentão da horta hem? Deve ser uma delícia!!
      Aliás, tudo que tem pimenta é saboroso e faz bem!!

      Agradeço muito sua valiosa participação amigo!!
      Bom final de semana!! :)))

      Excluir
  4. Olá querida Adriana,

    Passei por aqui rapidinho para conferir esta postagem. Afinal, disse a você no face que viria conferir. Prometido... cumprido-rsrs.
    Muito interessante o artigo.
    Confesso que há muito abandonei o uso da pimenta, pois não estava me fazendo bem.
    Gostava demais, pois dava um sabor especial à comida. Com tantos benefícios comprovados é tentador voltar a incluí-la em minha alimentação, mas não sem antes consultar meu médico a respeito.

    Beijão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Vera, a pimenta realmente exige um estômago mais forte!! rsrs
      Consulte um médico amiga! Quem sabe ele não libera uns tipos de pimenta mais amenos?
      Coloque só um pouco de molho, sem usar a pimenta em si...
      Talvez assim amenize a ardência da pimenta né?
      Já eu quanto mais ardida melhor...rsrs
      Sou viciada nesses vermelhinhas amiga!!

      Agradeço sua especial presença!!
      É sempre um prazer enorme quando aqui vem amiga, muito obrigada!!
      Beijos e um final de semana maravilhoso!! :)))

      Excluir

Fique à vontade para expressar seus sentimentos e sugestões.
Você é sempre muito bem-vindo(a)! Obrigada e Abraços!

Tecnologia do Blogger.