“She”, a história da canção de Charles Aznavour dedicada às mulheres...






A singeleza de uma flor ou de uma canção pode arrebatar o seu coração...E as canções antigas tem essa magia de trazer à tona as mais doces lembranças do passado...Creio que seja difícil ter alguém que não conheça "She"de Charles Aznavour e o quanto essa música encantou gerações. Agora você saberá um pouco mais dessa canção tão emotiva e do seu autor...Venha comigo!!


Um dos maiores cantores franceses, de todos os tempos, de origem armênia, também compositor e ator, Charles Aznavour partiu recentemente, em 01 de outubro de 2018, aos 94 anos, na sua residência no sul de França. E desde então, seu legado que já era gigante ficou ainda maior. A despeito da idade avançada, o cantor continuava a se apresentar regularmente nos palcos sempre encantando a todos.

História de Vida


Além de ser um dos mais populares e longevos cantores da França, ele foi também um dos cantores franceses mais conhecidos no exterior. Atuou em mais de 60 filmes, compôs cerca de 850 canções (incluindo 150 em inglês, 100 em italiano, 70 em espanhol e 50 em alemão). Charles Aznavour vendeu quase 200 milhões de discos em todo o mundo. O cantor começou sua turnê global de despedida no fim de 2006.





Aznavour nasceu Shahnour Vaghinagh Aznavourian (em armênio: Շահնուր Վաղինակ Ազնավուրյան), filho dos imigrantes armênios Michael e Knar Aznavourian. Seus pais, que eram artistas, o introduziram ao mundo do teatro em tenra idade.

Ele começou a atuar aos nove anos de idade e logo assumiu o nome artístico Charles Aznavour. Seu grande estouro aconteceu quando a cantora Édith Piaf o ouviu cantar e o levou consigo numa turnê pela França e pelos Estados Unidos. Ahh Édith Piaf sempre generosa!! Aproveite e ouça a minha edição de Edith, uma das mais lindas canções francesas existentes...







Frequentemente descrito como o Frank Sinatra da França, Aznavour canta principalmente o amor. Ele escreveu musicais e mais de mil canções, gravou mais de 100 álbuns e apareceu em 60 filmes, incluindo Atirem no Pianista e O Tambor. Aznavour canta em muitas línguas (francês, inglês, italiano, espanhol, alemão, russo, armênio e português), o que o ajudou a se apresentar no Carnegie Hall e noutras casas de espetáculos mundo afora. 


Ele gravou pelo menos uma canção do poeta Sayat Nova, do século XVIII, em armênio. "Que c'est triste Venise", cantada em francês, em italiano ("Com'è triste Venezia"), espanhol ("Venecia sin tí"), inglês ("How sad Venice can be") e alemão ("Venedig im Grau") e "The Old-Fashioned Way" estão entre as mais famosas canções poliglotas de Aznavour.


Charles Aznavour 

Nos anos 1970, Aznavour tornou-se um grande sucesso no Reino Unido, onde sua canção "She" saltou para o número um nas paradas de sucessos.

Em 1988, Charles Aznavour foi eleito "artista do século" pela CNN e pelos usuários da Time Online espalhados pelo mundo. Aznavour foi reconhecido como notável performer do século com cerca de 18% da votação total, desbancando Elvis Presley e Bob Dylan. 


A lista de artistas que já cantaram Aznavour abrange de Fred Astaire a Bing Crosby, de Ray Charles a Liza Minelli.

Elvis Costello gravou "She" para o filme Notting Hill. 

Elvis Costello 

O tenor Plácido Domingo era um grande amigo de Aznavour e frequentemente canta seus hits, principalmente a versão de Aznavour de Ave Maria, de 1994.

No início do outono de 2006, iniciou sua turnê de despedida, apresentando-se nos Estados Unidos e no Canadá, deixando ótimas lembranças. Em 2007, fez concertos no Japão e no resto da Ásia. Com mais de oitenta anos de idade, Aznavour demonstrava excelente saúde. Ele ainda cantava em várias línguas e sem teleprompters.




Carreira cinematográfica

Teve uma longa e variada carreira paralela como ator, aparecendo em mais de 60 filmes. Em 1960, estrelou Atirem no Pianista, de François Truffaut, no papel do personagem Édouard Saroyan. Também teve uma performance aclamada em 1974, no filme O Caso dos Dez Negrinhos, e teve um importante papel de coadjuvante no filme O Tambor, de 1979, vencedor do Academy Award de melhor filme em língua estrangeira em 1980. Em 2002 estrelou o filme Ararat, interpretando Edward Saroyan, um cineasta.


Aznavour no show


Charles Aznavour no Brasil

O cantor veio ao Brasil em abril de 2008 com a sua turnê de despedida, e mostrou, apesar da idade, que estava em grande forma. Suas apresentações foram marcadas pela presença de pessoas ilustres, como a atriz Bibi Ferreira. Os críticos dos principais jornais, bem como os famosos presentes, fizeram efusivos elogios ao cantor cujas apresentações foram intensamente aplaudidas.

Em maio de 2013 o cantor volta ao Brasil, onde faz apresentações no Rio de Janeiro, São Paulo, Porto Alegre e Recife. Em março de 2017, Aznavour fez shows em São Paulo e Rio de Janeiro para casas completamente cheias, mostrando a vitalidade de sempre apesar da longevidade, que não parece ser-lhe grande incômodo. Quem assistiu jamais esquecerá!!



Sua canção mais conhecida: She que enaltece a beleza e a força da mulher

⭐️ She (Ela) é a versão mais conhecida em todo o mundo da canção francesa Tous Les Visages de L'amour (Todas as Faces do Amor) lançada em 1974 por Charles Aznavour. ⭐️ Ciente do potencial de sua mais nova canção, o grande compositor francês Charles Aznavour decidiu gravar She (escrita por ele, Aznavour e Herbert Kretzmer) não somente em francês, mas também em inglês, alemão, espanhol e italiano. E ele tinha razão: lançada em 1974, a canção alcançou enorme sucesso em toda parte, chegando ao topo das paradas inglesas .



⭐️ Em 1999, 25 anos depois, She foi regravada pelo britânico Elvis Costello para a trilha sonora do filme Notting Hill (Um Lugar Chamado Notting Hill), música tema do casal William Thacker (Hugh Grant) e Anna Scott (Julia Roberts), alcançando rapidamente sucesso mundial.

⭐️ Mas bom, se pensava que “She” falava de uma mulher volúvel, fique a saber que o contexto não é bem assim. A faixa foi escrita para uma série britânica exibida entre 1974 e 1977, chamada “The Seven Faces of Women”, e se é verdade que aponta para as contradições e imprevisibilidades que dão forma ao universo feminino, a verdade é que retratava não uma…mas sete mulheres distintas, abordando a complexidade da vida e as suas zonas cinzentas.

⭐️ Nesta edição, há a junção das vozes e versões de Elvis Costello & Charles Aznavour , com imagens da super estrela Charlize Theron, gerando um dos duetos mais lindos do mundo... Tomara que aprecie, foi feita com o coração. Linda semana!!



Imagens do Tumblr e Vídeo do Canal de Adriana Helena

Seu comentário é muito bem-vindo! Obrigada!

8 comentários:

  1. olá Adriana:
    que bela homenagem você fez hoje à este grande cantor que encantou gerações.
    Lembro-me de ter esta música em uma fita cassete.
    que saudades.
    seus posts como sempre tão cheios de energias boas e bons sentimentos.
    agradeço sempre por me visitar e sempre ter palavras sempre tão incentivadoras.
    desejo tudo de bom à vocÊ e sua família querida Adriana.
    grande abraço.
    :o)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eliane, suas palavras repletas de gentileza sempre me deixam muito feliz quando vem ao blog!! Ahh como é bom recordar as músicas antigas não é verdade?
      Agradeço demais sua presença querida!
      Tenha uma semana maravilhosa!
      Beijos!! :))))

      Excluir
  2. Nossa que lindo!
    Amei o post.
    Prazer em conhecer seu blog.
    janicce.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A Casa Madeira, seja muito bem-vinda!!!
      Fico muito feliz com sua presença e comentário!
      Seja sempre muito bem vinda!!
      Inserirei o link do seu blog nas minhas leituras favoritas!
      Tenha uma semana maravilhosa!!
      Beijos!!

      Excluir
  3. Post informativa da maior importância, Adriana. E que merecida e bonita homenagem. Bjsss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sérgio, obrigada querido amigo!!
      Eu sou um pouco saudosista e adoro as canções antigas e seus intérpretes!!
      E unir dois monstros da música em um só clipe foi bom demais!!
      Um super beijo e uma semana maravilhosa amigo!!

      Excluir
  4. Olá Dri
    Que post maravilhoso, além de pleno de sensibilidade ainda é "história da música e cinema" ou "música e cinema com História "
    Simplesmente apaixonada por Charles Aznavour e She 😍😍
    Vou favoritar aqui no navegador.
    Bjs Luli
    https://cafecomleituranarede.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luli, que alegria receber o seu super lindo comentário querida!!
      Ahh que bom que gostou deste artigo amiga, ando bastante musical no último ano, desvendando o que tem por trás da música e seus intérpretes!! E adoro as mais antigas querida...rsrs
      Agradeço muito sua presença e carinho por favoritar!
      Seu blog lindo já está nos meus favoritos para leitura forever e ever!!
      Beijos e um restante de semana maravilhoso amiga!! :)))

      Excluir

Fique à vontade para expressar seus sentimentos e sugestões.
Você é sempre muito bem-vindo(a)! Obrigada e Abraços!

Tecnologia do Blogger.