Conta Comigo: Como o pequeno filme se tornou um grande clássico do cinema





Vocês precisam assistir “Conta Comigo”, (Stand By Me) um filme da infância de muitos que nasceram na década de 80. Trata-se de um filme tão singelo que resolvi apresentá-lo a vocês, caso não conheçam, apesar de já ter sido um clássico da Sessão da Tarde e um dos melhores filmes do cinema de todos os tempos. Baseado no conto “O Corpo” do livro “As Quatro Estações” de Stephen King – conto encontrado no capitulo Outono da Inocência – o filme conta a história de quatro garotos onde a única coisa que tem em comum é a amizade.

Mas antes disso, ouçam a edição que criei especialmente para esse artigo com a canção "Stand by Me", originalmente interpretada pelo cantor e compositor americano Ben E. King, e escrita por King, Jerry Leiber e Mike Stoller. A canção foi lançada originalmente em 1961 e reeditada  em 1986, como parte da trilha-sonora do filme com o mesmo nome, chamado aqui no Brasil, de "Conta Comigo" 




“Conta Comigo” (Stand By Me),é um filme de 1986 dirigido por Rob Reiner que foca na amizade entre quatro garotos, aquela típica amizade de infância: os quatro eram inseparáveis, estavam sempre juntos e atrás de aventuras. Porém, a aventura que viveram no filme foi, com certeza, a maior que eles viveram durante toda a vida!

Baseado, como disse na introdução,  no conto “O outono da inocência – O corpo (The Body)” do autor Stephen King, a trama envolve diretamente as recordações do escritor, sendo a sua obra mais pessoal, pois remete à sua fase mais complicada de vida, na qual seu irmão sofreu um acidente de carro. Gordie (Wil Wheaton) é o sensível contador de histórias que sonha em ser escritor, Chris (River Phoenix) é o mais durão que a cidade vê como um futuro criminoso devido histórico de família, Teddy (Corey Feldman) é destemido e tido como louco assim como seu pai e Vern (Jerry O’Connell) é o estereótipo do gordinho covarde dos filme daquela época.




A situação vivida durante essa viagem de dois dias revela profundas descobertas sobre amizade e companheirismo.

Esses quatro carinhas ficam sabendo onde está o corpo de um menino morto no trilho de trem e saem em busca de aventuras, atrás apenas do reconhecimento da cidade sobre esse ato de heroísmo de encontrar o corpo do menino desaparecido.

Porém, não é tão simples assim. Ao longo do caminho, são desafiados, passam por várias aventuras, mas além disso, várias discussões entram em jogo, tornando-se aprendizado para os meninos. Assistindo, podemos perceber que eles discutem sobre o futuro, sobre o fato de os pais de um dos meninos não valorizarem o talento dele e, ao mesmo tempo, discutem sobre coisas de criança, como, por exemplo, quem ganharia na luta Superman vs Supermouse, mostrando, assim, que apesar de estarem em uma época de aprendizado e reflexão, são apenas crianças.



A forma como cada personagem é apresentado é maravilhosa. É mostrado que cada personagem tem seu problema, seja consigo mesmo, em casa ou na escola, além de ser mostrada a excelente química do elenco, a qual entende bem o peso dos seus papeis. De cara somos puxados pra dentro da trama e nos sentimos parte da equipe.

“Conta Comigo” resgata sentimentos da infância: aquela coragem das crianças, a busca por aventura e o confronto com o amadurecimento. Assim, o filme nos deixa com saudade de ser criança e traz lembranças da nossa infância...

A interação entre os personagens é incrível, a trilha sonora é muito boa e a vontade de ser um deles é bem grande. A viagem, que era apenas em busca do cadáver, acaba virando uma viagem ao autoconhecimento de cada um e da amizade de todos eles.




Sem expectativas, Conta Comigo chegou aos cinemas em agosto de 1986, primeiro em poucas salas e a partir do dia 22 em circuito, arrecadando 52 milhões de dólares e uma indicação ao Oscar de melhor roteiro. O filme também impulsionou a carreira dos quatro garotos, estabeleceu River Phoenix como talento em ascensão e Rob Reiner como diretor, que agradeceu batizando sua produtora de Castle Rock. A produção agradou ainda um crítico em particular. Stephen King, o garoto que foi abandonado pelo pai e se tornou escritor, reconheceu o filme como uma das melhores adaptações de sua obra para as telas.

Curiosidades: 


O conto escrito por King é baseado em um ocorrido de sua infância, quando viu um garoto morto durante um dia que estava voltando da escola.

Por isso o personagem principal é um garoto que sonha em ser escritor.

Ele só encheu o conto de detalhes, quase todos inventados.

Como dizem “Quem conta um CONTO aumenta um ponto”


Conta Comigo está disponível no catálogo da Netflix e é uma das principais influências da série Stranger Things.

Conclusão:

  Um filme muito lindo, divertido, excelente para ver com qualquer pessoa e em qualquer lugar, só para lembrar as peraltices praticadas na infância e lembrar os grandes amigos daquela época que muitas vezes não temos mais contato, mas cujos grandes momentos ainda estão em nossa mente, para sempre!! Tomara que aprecie...Linda semana!!


Inspiração:  https://www.omelete.com.br  e  resenha-conta-comigo  Imagens do Google Imagens
Vídeo do Canal de Adriana Helena no YouTube e vídeo das locações de Conta Comigo no Vímeo

Seu comentário é muito bem-vindo! Obrigada!

6 comentários:

  1. oi Adriana :
    vou procurar assistir a este filme. Nossa que dica boa.
    adoro ver estes filmes que são cativantes e simples.
    não estou me lembrando deste filme, mas pode ser que tenha visto e não lembro mais.
    por isso vou ver.
    obrigada por mais esta dica.
    um bom começo de outono para você.
    grande abraço.
    :o)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eliane, que encanto ter você aqui querida!!
      Ainda há pouco saí do seu cantinho mágico, lindo, delicado, com as peças em porcelana e madeira mais delicadas que eu poderia ver e encontrar! Você é genial querida!!

      Ah sim, esse filme é pura ternura da infância...Foi nele que adquiri o gosto por aventurar...rsrs Quando crianças temos esse objetivo né amiga? De procurar coisas para fazer e mistérios para desvendar...
      Está no catálogo da Netflix e a imagem do filme está perfeita amiga querida!!

      Um grande e caloroso beijo e um restante de semana maravilhosamente lindo tá?
      Beijinhos!! :))))

      Excluir
  2. Oi, Adriana, boa tarde!!
    Menina, que saudade daqui!! Eu acabei cometendo um ato falho. Pensei: vou assistir o filme e volto para comentar. Até porque eu imagino que o assisti, mas, como não tinha certeza, resolvi fazer desse jeito.
    Só que minha correria não me permitir ver o filme, e, quando vejo sua nova postagem, minha ficha de ausente confesso caiu!
    Gosto demais de filmes, inclusive, é claro, o de aventuras. Eu só tenho algumas coisinhas que mantenho como preferências: 1. Não gosto de finais em que os protagonistas morrem, de jeito nenhum - há exceções, como "Fenômeno", mas são pouquíssimas; 2. Não gosto de filmes em que a lógica vai para o espaço e não desce mais; 3. Filmes de baixa qualidade técnica ou interpretativa me deixam muito chateado... rsrs
    Pela sinopse que você fez, o filme se torna muito interessante de ver. Mas confesso que, sendo você a crítica, e fazendo uma crítica positiva desse seu jeito super, ultra, extra, até "Espírito Selvagem" seria tentador de assistir! rsrs (Mas eu desejo de coração que você não faça a crítica positiva daquele filme, porque muita gente vai ficar zangada com você)!
    Gosto muito da composição bem feita de personagens, do desvendamento crescente dos motivos das ações...
    Ah, quer saber, vou ver o filme logo que puder! rsrsr Você me convenceu! rsrs
    Um beijo muito carinhoso
    Ângelo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ângelo, muito boa tarde querido!!
      Ah, que bom que gostou do "resumão" do filme amigo...Na verdade, eu já vi esse filme algumas vezes, mas há muito, muito tempo...Mas as lições que aprendi nele nunca foram esquecidas!! Foi nele que aprendi o gosto por aventuras na infância, em explorar as matas, os bosques, subir em árvores, pesquisar sobre as flores e os matinhos...rsrs

      Sabe, volta e meio falo de algum filme por aqui e agora estou combinando com a trilha sonora... E talvez esse filme não tenha sido tão marcante para você, mas eu tenho certeza de que O último dos Moicainos ou o Morro dos Ventos Uivantes tenha te atraído...Ou quem sabe não não é verdade? Mas agora fiquei curiosa demais em ver Espírito Selvagem, pois pesquisei e vi que o protagonista é Matt Damon, um dos atores que aprecio muito!!Quem assiste Perdido em Marte fica torcendo para ele voltar logo para a Terra e foi neste filme que me encantei com a interpretação dele. E olha que ele já havia atuado na juventude em Gênio Indomável, mas nem havia percebido que era ele...rsrs Às vezes sou um pouco distraído amigo...rsrs
      Mas se você quiser dar só uma passadinha de olhos na resenha que fiz dos filmes O Último dos Moicainos ou o Morro dos Ventos Uivantes deixarei o link, mas só se quiser tá? E prometo que deixarei o link de verdade, não esquecerei como naquela outra ocasião...rsrs

      Beijos amigo e muito obrigada pelo carinho da presença!!
      Desejo uma semana maravilhosa!!

      (Os links, antes que eu me esqueça...hehehe)

      https://vivendoavidabemfeliz.blogspot.com/2018/10/wuthering-heights-o-morro-dos-ventos.html

      https://vivendoavidabemfeliz.blogspot.com/2018/11/o-ultimo-dos-moicanos-trilha-sonora-de.html

      Excluir
  3. Acredita que nunca vi, Adriana??? Mas me interessei muito lendo seu texto. Alias, eu nem tinha ouvido falar, juro... rs Bjssss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sérgio, sério amigo? Nossa, foi um clássico da Sessão da Tarde!!!
      Não tanto como a Lagoa Azul.. rsrs mas passou bastante!!
      Só que agora não passa mais, estranho, mas vale a pena assistir!!
      Um grande beijo e um lindo final de semana querido!!!

      Excluir

Fique à vontade para expressar seus sentimentos e sugestões.
Você é sempre muito bem-vindo(a)! Obrigada e Abraços!

Tecnologia do Blogger.