Resiliência: a arte de enfrentar os problemas com otimismo!




Oi amigos, tudo bem com vocês? Pois é, tem momentos que atravessamos tempestades no percurso de nossas vidas. E você consegue passar firme e forte por tudo isso sem se envergar? Difícil demais não é? Já ouviu falar em resiliência? O termo é originário da física e significa “a capacidade que os corpos têm de voltar à sua forma e estado originais depois de serem submetidos a um grande esforço ou pressão externa”. Tomando a palavra por empréstimo, resiliência significa a capacidade de uma pessoa superar grandes dificuldades, mudanças significativas, perdas importantes ou forte estresse. É a arte da superação. Conheça dicas surpreendentes para ser ou tornar-se resiliente! 

Sugiro a leitura do artigo com a música  Mais uma vez, que marcou a minha vida:"Mas é claro que o sol vai voltar amanhã..."





É fácil perceber, mesmo diante da urgência da vida moderna, como as pessoas lidam de formas diferentes como situações parecidas. A forma como se lida com as adversidades depende das características pessoais, dos valores, da cultura, da experiência, enfim, da visão de mundo de cada pessoa. Para superar grandes adversidades é preciso desenvolver habilidades como determinação, ousadia, flexibilidade e confiança. É preciso também escolher entre ficar sofrendo, se maldizendo e às vezes até blasfemando contra Deus, responsabilizando-o pelo que está acontecendo com você (por que comigo?) ou arregaçar as mangas, ir à luta e enfrentar com dignidade o mal que lhe aflige, encontrando a melhor maneira de combatê-lo e dar a volta por cima. Em qual dessas atitudes você mais se enquadra?


Reconhece a queda e não desanima


Cada um de nós tem um jeito especial de lidar com tudo o que acontece com a gente. Os pequenos erros, as pequenas doenças, o término de um relacionamento breve podem se tornar uma catástrofe para algumas pessoas, enquanto que para outras são um fato sem muita importância. Mas, é diante das grandes dificuldades, das grandes doenças (como o câncer, as enfermidades auto-imunes…), do rompimento de relacionamentos significativos, que a “queda” costuma ser muito maior para todos nós e, por conseqüência, a dor também.

Num momento de intenso sofrimento, mais do que em qualquer outro, é necessário buscar forças na fé, no seu amor por você, na vida, nos seus desejos, no amor pelas pessoas, se permitir aprender com erros e as dificuldades e buscar ajuda para seguir em frente, empenhando-se na superação da dor e do sofrimento. O filósofo Nietzche já dizia “o que não me destrói me torna mais forte” e, na verdade, é isso o que acontece: ao superarmos as mazelas nos sentimos muito mais fortes e comprometidos com a reconstrução da nossa vida. É necessário fazer as pazes com o “destino” para voltar a sorrir e encontrar motivos para ser feliz novamente.

Levanta, sacode a poeira

As pessoas que conseguem ter uma postura mais positiva diante da vida, tendem a lidar com mais serenidade e firmeza com o sofrimento. Essas pessoas conseguem ser criativas diante das circunstâncias desfavoráveis da vida, pois tiram o foco do problema e analisam todas as possibilidades à sua volta, tentando achar o melhor caminho e isso significa olhar também para o que seria o pior caminho. O melhor a fazer é construirmos o nosso próprio caminho!


Muito mais importante do que acontece com a gente é a forma como lidamos com o que acontece. É necessário ter uma boa percepção de nós mesmos, das nossas limitações e facilidades para que possamos interpretar com clareza a realidade e investir no que seria melhor pra nós. Mesmo nos momentos de maior dificuldade e sofrimento não tenha uma postura póstuma diante da vida: se arme de fé e coragem e decida investir em você mesmo e no viver. Ser resiliente é acreditar e investir na superação. É poder cantar com o coração a canção do Paulo Vanzoline (mesmo que seja baixinho) “reconhece a queda e não desanima. Levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima”.


Resiliência - A arte de superar os percalços e sair fortalecido por eles

Então amigos, resiliência é exatamente isso, não apenas superar uma adversidade, mas sair fortalecido, transformado dela. O termo resiliência foi adotado pelas ciências humanas para descrever a capacidade humana de responder de forma mais consistente aos desafios e dificuldades que a vida apresenta. É um estudo recente, começou a ser analisado em torno de 30 anos atrás, em campos de concentração. Na época se questionava: porque algumas pessoas suportavam mais do que outras a mesma terrível situação?

Vocês com certeza conhecem a história da Anne Frank, uma menina judia que, durante a Segunda Guerra Mundial, teve que se esconder para se escapar dos nazistas. Juntamente com mais sete outras pessoas, ela refugiou-se no Anexo Secreto, localizado no canal Prinsengracht, nº 263, em Amsterdã. Depois de pouco mais de 2 anos escondidos, eles são descobertos e enviados para campos de concentração. O pai de Anne, Otto Frank, é o único das oito pessoas que sobrevive. Depois da sua morte, Anne tornou-se famosa no mundo inteiro por causa do diário que escreveu quando ainda estava escondida. E mesmo naquelas condições tão tristes, jamais perdera o otimismo diante da vida, veja uma de sua frases:



A pessoa resiliente é aquela que utiliza força, flexibilidade, inteligência e otimismo para enfrentar e superar circunstâncias desfavoráveis.

Pois é, esta é a principal característica de uma pessoa resiliente! É sua habilidade de fazer com que a pressão que sofre, trabalhe a seu favor, como a mola que ganha energia extra. Pessoas que usam todas suas habilidades, sejam as já conhecidas ou as que descobrem na hora, para lidar com os pontos críticos da vida, momentos potencialmente perigosos. Dentre as características, as mais relevantes são: 

-criatividade;

-capacidade de suportar dor;

- percepção de si mesmo e do que está sendo vivenciado em determinada fase da vida;

- independência de espírito;

- auto-respeito; 


- habilidade de recuperar a auto-estima quando esta diminuiu ou foi temporariamente perdida;

- capacidade de aprender;

- habilidade de fazer e manter amizades;

- liberdade na dependência dos outros, com limites da profundidade da nossa dependência;

- uma perspectiva de vida que oferece uma filosofia vital, evolutiva, através da qual podemos interpretar todas as nossas experiências e extrair alguma medida de significado pessoal.


“ É A ARTE DE TRANSFORMAR TODA ENERGIA DE UM PROBLEMA EM UMA SOLUÇÃO CRIATIVA”


Segundo o poeta chinês Bai Juyi (803 DC), as qualidades do bambu são um exemplo de comportamento humano superior: diante da tempestade, o bambu se curva, mas não se parte, retornando à forma anterior após passada a tormenta. Um símbolo de resiliência. Seu caule oco representa a mente aberta. Ou seja, para desenvolver resiliência é fundamental estar aberto a mudanças de comportamento.

Um indivíduo submetido a situações de estresse que tem a capacidade de superá-las sem lesões mais severas (“rachaduras”) é um resiliente. Já a pessoa que não possui este perfil é o chamado "homem de vidro", que se "quebra" ao ser submetido às pressões e situações estressantes.

Se sabemos que esta capacidade existe nos seres humanos, por quê nos parece algumas vezes tão difícil acessá-la dentro de nós? Diante de uma situação de profunda dor, decepção ou perda, achamos que não vai ser possível enfrentar. É aquela sensação de sentir-se derrotado, deprimido, como se por dentro estivéssemos sangrando. Algo se rompeu e parece que nunca mais seremos os mesmos. Como lidar com estes revezes sem nos tornarmos pessoas amargas ou até revoltadas com a vida?

Existe dois tipos de indivíduos, aqueles que nascem e os que se tornam resilientes. Todos nós podemos nos tornar resilientes.

A psicologia já tem estudos para saber que a resiliência pode ser desenvolvida, ou seja, não é privilégio de alguns ter nascido com essa habilidade para lidar com dificuldades, enquanto outros sofrem e se desesperam diante de certas situações. E quais seriam as formas de desenvolver resiliência? Pretel Job estudou testemunhas do holocausto e descreveu algumas características comuns às pessoas resilientes. Uma das principais características é a auto-estima. Quando temos consciência do nosso valor como pessoa, tudo fica mais fácil. Saber quais são nossas qualidades (e limitações), acreditar na nossa capacidade como indivíduos, independentemente de posses materiais, é ter boa auto-estima. Além da auto-estima, existem outras qualidades que podemos desenvolver para sermos mais resilientes.

Seguem algumas dicas:

• Exercitar o bom-humor:


• Buscar o contentamento, alegria e bom-humor fazem bem à alma, à mente e ao corpo. Entrar em contato com a alegria não é uma tarefa fácil em tempos de crise, por isso a necessidade de exercitá-la. Você pode achar estranho pensar em contentamento quando estamos sofrendo, mas filosofias orientais nos ensinam que não é necessário “somar sofrimentos”, ou seja, não resolve estarmos tristes o tempo todo porque estamos passando por dificuldades. Apurar o senso de humor desarma os pessimistas;

• Ter amigos:


  • Recorrer a um amigo com quem podemos conversar, desabafar e contar o que se passa conosco;
• Ter hobbies: 


  • Pintar, escrever, fotografar, fazer parte de um grupo social;

• Mentalizar seu projeto de vida, mesmo que não possa ser colocado em prática imediatamente. Sonhar com seu projeto é confortante e reduz a ansiedade;

Aprender com a prática, refletir sobre as situações;

• Ter flexibilidade e criatividade;

•Aproveitar parte do tempo para ampliar conhecimentos: isso aumenta a auto-confiança;

• Assumir riscos (ter coragem);


• Acreditar no sentido da vida: seja através de alguma crença religiosa ou simplesmente acreditar que existe uma Inteligência Superior que rege o Universo;

• Aprender e adotar métodos práticos de relaxamento e meditação;

• Praticar esporte para aumentar o ânimo e a disposição. Os exercícios aumentam endorfinas e testosterona que, conseqüentemente, proporcionam sensação de bem-estar;

• Procurar manter o lar em harmonia, pois este é o "ponto de apoio para recuperar-se";

• Transformar-se em um otimista incurável, visualizando sempre um futuro bom;

• Tornar-se um "sobrevivente" repleto de recursos;


• Usar a criatividade para quebrar a rotina;

• Permitir-se sentir dor, recuar e, às vezes, enfraquecer para em seguida retornar ao estado original.

Em vista de tudo o que foi apresentado, notamos que o auto-conhecimento é um grande aliado quando se trata de superação e enfrentamento. Conhecer nossas capacidades nos ajuda a encontrar forças internas para lutar. Conhecer nossas limitações é importante para sabermos quando pedir ajuda, inclusive um ombro amigo para desabafar e chorar, sem é claro, esperar dos outros que resolvam por nós nossas questões. O palestrante Tom Coelho, escrevendo sobre resiliência diz :   "Nós apreciamos o calor porque já sentimos frio. Apreciamos a luz porque já estivemos no escuro. Apreciamos a saúde porque já fomos enfermos. Podemos, pois, experimentar a felicidade porque já conhecemos a tristeza.”

Concluindo, observamos que a a resiliência consiste no equilíbrio entre a tensão e a habilidade de lutar, de atingir outro nível de consciência, que nos traz uma mudança de comportamento e a capacidade de lidar com os obstáculos da vida pessoal e profissional.

Aprendamos e sejamos RESILIENTES, pois a vida pede!

E pra fechar com chave de ouro, um poema de Alice Ruiz:

"Algumas flores
Teimam em viver
Apesar do peso
Apesar da morte
Apesar de algumas que teimam em morrer
Apesar de tudo "

"Se o mundo agora de faz sofrer, tudo vai passar, você vai ver..." Até breve amigos!!




14 comentários:

  1. Quer queiramos ou não, a adversidade faz parte da vida. Superar as adversidades é um dos maiores obstáculos que enfrentamos. Os problemas sejam grandes ou pequenos apresentam-se a nós durante toda a nossa existência. Independentemente de quão animado, inteligente, ou contente estejamos no momento, independentemente de a vida nos correr às mil maravilhas, inesperadamente todos nós algumas vezes somos confrontados com problemas, lutas, desafios, dificuldades. É como se fossemos postos à prova, para vermos de que fibra somos feitos, como é que conseguimos enfrentar algumas situações catastróficas e angustiantes. Não pretendo passar a mensagem que quanto mais adversidade melhor, nem sou apologista de que o sofrimento é algo de bom. Não, o sofrimento incapacitante não é benéfico. Ainda assim, não invalida que pensamos nele como uma realidade que acontece na vida de cada um de nós, certamente em número e intensidade diferentes de pessoa para pessoa. Quando acontece, aceitá-lo é uma parte da estratégia para nos livrarmos de mais sofrimento. Aceitá-lo pode constituir uma forma de nos reestruturarmos e seguirmos em frente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Alfeu, muito boa tarde!!!
      É muito bom ter a sua presença amigo, de coração!

      As adversidades realmente fazem parte a vida e o que seria da gente se não tivéssemos obstáculos para suplantar não é mesmo?
      Só encontramos momentos de felicidade depois de conhecer a tristeza e a dor...
      Por isso que é tão bom valorizar a vida, tentar resolver os conflitos sem se entregar, não cair e não se prostrar!

      Cada um enfrenta os problemas de uma maneira diferente! Alguns sentem mais, outros menos... mas é sempre bom aprendermos a nos tornar resilientes!

      Agradeço o carinho da visita amigo!
      Desejo uma ótima semana! :))
      Abraços!

      Excluir
  2. Adriana, que maravilha! Você sempre surpreendendo, este texto está uma riqueza só. Adorei as dicas, as fotos, o vídeo... Sem dúvida, este é um conceito que sempre admirei e tento colocá-lo em prática, no cotidiano. Parabéns pelo excelente trabalho e muito obrigado pelo carinho da sua visita lá no blog! Você sempre um amor de pessoa!

    Grande beijo e uma excelente semana! Tudo de bom!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde Sergio, como vai amigo?
      Ahh imagina, gentileza sua, com certeza!!!
      Verdade, as imagens precisam ser intensas, coloridas e atrair a atenção do leitor!
      Percebo que as pessoas estão lendo pouco e se não tiver um entretenimento, o texto passa batido né? São os novos tempos, deve ser!

      Agradeço demais seu carinho amigo, é sempre maravilhoso ter a sua participação!
      Super beijos e uma semana linda!

      Excluir
  3. Olá,querida Adriana, boa noite, ...bem, a postagem está super- completa, bela como sempre -igual à dona do blog- com Alice Ruiz e duas clássicas músicas, que adoro, mas, vc sabe, não gosto de perder a oportunidade de dar meus "pitacos", aliás,estou aqui para isso, né não?...quase que, por coincidência, publicamos ao mesmo tempo , postagens com a música Mais Uma Vez, um verdadeiro hino à promoção da resiliência. Acabei mudando de última hora.
    Vc sabe que passei por um momento nada feliz em minha vida, há pouco menos de 1 ano, e eu posso dizer, com certeza, que sou um exemplo clássico de resiliência, exercitei o bom-humor, amigos, hobbies e principalmente, coragem para • "Permitir-se sentir dor, recuar e, às vezes, enfraquecer para em seguida retornar ao estado original".
    isso é muy vero, "diante da urgência da vida moderna, as pessoas lidam de formas diferentes com situações parecidas", mas, conforme "escrito acima" , "Todos nós podemos nos tornar resilientes", todos precisamos (sic) se adaptar à um possível "novo" cenário e driblar bem as incertezas. Devemos resistir e viver a resiliência, enfrentando os problemas, dar a volta por cima , aprender dos revezes da vida, vencer obstáculos e não ceder à pressão seja qual for a situação. Não se resignar mas manter a vontade de mudar e crescer, " buscar forças na fé, no seu amor por você, na vida, nos seus desejos, no amor pelas pessoas!" adaptando-se as mudanças e a momentos de adversidade de forma positiva: eu tenho, eu sou e eu posso e "sair fortalecido, transformado dela.... " por mais longa e escura que seja a noite o sol volta sempre a brilhar."
    obrigado pelas suas palavras sempre carinhosas para com esse feliz blogueiro Felis, excelente e abençoada continuação da semana,belos dias, beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde querido Felis!
      É tão bom quando aqui vem, gentilmente, me fazer uma visita!
      Fico feliz demais da conta! :)))))

      Ah e você sempre tão carismático, rasgando elogios... Faz bem à alma sabe?
      Ando carente de visitas..rsrs Minhas amigas se foram e raramente vem aqui!
      Por isso estou tão sensível...hihihihihi
      Sim, adoro receber sugestões e é isso que mantém o blog de pé, com certeza absoluta!
      Sim, sim, Mais uma vez !Música incrível e que me veio imediatamente à cabeça assim que concluí o artigo! Aliás, desde que passei no vestibular para Direito, essa canção é o meu hino, um grito de guerra, por assim dizer....rsrsrsrs

      Sim amigo, você é a própria palavra resiliência, seu nome é resiliência e conseguiu manter-se ereto todo esse tempo, e ainda tirou forças de tudo isso!
      Realmente é muito digno e ainda assim jamais perdeu a ânsia, a vontade de viver e o bom humor que lhe é tão peculiar! :)))))
      E no final do túnel escuro, o sol vai voltar a brilhar, pode ter certeza!

      Mas é preciso fazer como os bambus: curvarem-se diante das tempestades, não se deixar quebrar e nem dobrar e assim que os fortes ventos passarem, voltar ao estado original, à forma anterior, totalmente renascido! Isso sim, é resiliência! Isso é você amigo!!!

      Fico feliz demais com sua visita sempre tão rica Felis!
      O que seria das blogueiras abandonadas sem os amigos que sempre vem deixar um apoio né? rsrs
      Obrigada querido, desejo uma especial semana, de todo o coração!
      Beijos!! :))))

      Excluir
  4. Olá linda amiga.

    Primeiro quero lhe dizer que estou logada no Atitude pois no perfil do Asas dos Versos estou com dificuldades de comentar hoje. Coisas do blogger vez em quando.rs
    Respondi teu comentário e agradeço muito tuas palavras lá.

    Agora sobre o teu texto, ficou incrivelmente maravilhoso! Precisamos sempre praticar a resiliência e nada melhor como o bom humor para isso. O sorriso verdadeiro nos deixam leves e resilientes não é verdade? E é o que sempre me deixa mais forte diante as adversidades da vida.
    E agora so me resta lhe parabenizar pelo dom incrivel da palavra que tu tem. Suas palavras são sempre convidativas. São palavras de caminhos abertos.
    Parabéns sempre, menina talentosa e de olhar sorridente!

    Beijos com carinho!😚

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lu, eu estava choramingando com os amigos a ausência que as minhas queridas amigas fazem!
      Deu tanta saudade!
      Antes pareci que blogar era um ato de amor maior, mais intenso..
      Hoje parece que tudo se modificou e as pessoas acabaram por se afastar devido a inúmeros motivos...

      E fico feliz demais quando você vem e deixa meu jardim perfumado!
      Obrigada minha linda poetisa!
      Sempre faz muita falta viu?
      Afinal, tantas coisas acontecem e a nossa amizade continua perfumada, gerando flores e mais amor!!
      Agradeço pela participação e presença tão aconchegantes minha linda!

      Beijinhos e um final de semana maravilhoso!
      Se cuida muito! :))))

      Excluir
  5. Olá, Adriana, como vai?
    Sabe, a primeira vez que pensei no termo Resiliência foi lendo um texto no blog da Sissym. Aqui colocou de forma muito completa o quanto o ser humano tem a capacidade de lidar com os desafios, encontrar forças em si mesmo, se superar...sem dúvida um texto estimulante, do tipo "levanta, sacode a poeira, dá a volta por cima".
    De todos os tópicos penso que o bom humor, a criatividade e o auto-respeito são primordiais. Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia querida Bia!
      É sempre uma grande honra sua presença querida amiga!
      Fico feliz demais, ainda mais em tempos em que precisamos tanto de calor humano, de energia positiva!!

      Sim, a Sissym é mestra em Resiliência, pois é passou por momentos difíceis e manteve-se sempre erguida! Sabe querida, essa palavra é um símbolo incrível, de tenacidade e de força!
      Realmente cada ser reage de forma diferente às intempéries da vida e muitos saem ainda mais fortalecidos!
      Mas o melhor estímulo mesmo é sacudir, levantar a poeira e dar a volta por cima não é?

      Bia, adorei sua participação e seu carinho imenso...
      Sempre fico com saudades!!!
      Desejo uma semana maravilhosa amiga!!
      Muitos e muitos beijinhos! :)))

      Excluir
  6. Ah amiga mas e assim mesmo! Os meus espaços tambem não tem sido tão visitados como antes mas eu entendo que muitos ja não postam mais e outros ja não tem o mesmo tempo
    ou entusiasmo para blogar.
    Os motivos são muitos é verdade e como você tambem sinto muita saudade de quando a nossa blogosfera era bem mais movimentada que hoje. Mas como muitos, tambem tenho postado bem pouco. E mesmo assim fico muito feliz por ter pessoas tão doces como você ainda por perto. Se bem que há pessoas que eternizamos dentro de nossas vida mesmo quando estão distantes. Grata pela tua doce amizade que jamais será esquecida.

    Beijos minha querida e se cuide muito tambem viu.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhh Lu, é tão bom quando volta e deixa aqui seu carinho minha amiga!
      O tempo é curto, a blogosfera não é a mesma, mas a sua presença tornou-se, em vista disso, ainda mais aconchegante e esperada!!!

      Você mencionou palavra chave: o entusiasmo de blogar! Sim, essa é a verdade!
      Por pouco eu também quase perdi esse estímulo, essa força que dá um poder na gente de criar, de buscar coisas novas para poder compartilhar com os amigos!
      Estou tentando manter a publicação semanal, mas tem momentos que falho..rsrs
      E sua amizade amiga, há muito já é especial e está encravada em mim, criou raízes profundas e jamais se dissolverá! Transformou-se em diamante amiga linda!

      Muito obrigada por seu retorno querida, surpreendeu-me demais, me deixou feliz demais!!!
      Um grande e caloroso beijo, de todo o coração!
      Linda e encantadora semana amiga minha!!!
      Beijinhos!!! :))))

      Excluir
  7. Oi Adriana,
    Passo um tempão sem vir e quando volto vejo essa maravilha de post/ensinamentos de vida e que bom poder ler tudo isso.
    Confesso que a resiliência ainda não é o meu forte,jà desisti de algumas coisas nessa vida por medo ou dificuldades pessoais,com o blog quase foi assim,por isso estou postando aos poucos.Quero poder olhar lá na frente tudo que escrevi e perceber as mudanças pelas quais passei e ver o quanto evoluí.
    A essa capacidade de extrair o melhor das situações e lidar principalmente com o caos pessoal não é fácil,mas espero aos poucos conseguir.
    Abraço e obrigada pelo post tão lindo e tão completo =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Suelen, boa noite querida!
      Que coincidência maravilhosa você vir até o blog depois de tanto tempo justamente no período de festa em que comemoro 5 aninhos de vida virtual! Isso é bom demais!
      É um grande presente para mim!!! :)))

      Sim, ter um blog, que funciona como um diário virtual da nossa vida é para isso: para notarmos o quanto crescemos e evoluímos durante todo esse tempo! É maravilhoso querida!!
      É claro que você vai conseguir! Já é uma vencedora, pode ter certeza absoluta!!!
      Obrigada pela presença e carinho e se quiser retornar na festinha de 5 aninhos, já está mais do que convidada tá?
      Mil beijos e uma ótima semana!!! :))))

      Excluir

Fique à vontade para expressar seus sentimentos e sugestões.
Você é sempre muito bem-vindo(a)! Obrigada e Abraços!

Tecnologia do Blogger.