Uma vida dramática expressada na arte de Van Gogh


Oi amigos, nesta semana fui tomada por momentos tristes e nostálgicos, o que me fez recorrer à arte para entender melhor a minha atual fase...Vocês já devem saber que a arte e a música tornam-se os melhores aliados em períodos de turbulência, pois acalmam e trazem uma profunda paz. Sempre admirei a obra de Van Gogh, um dos pintores mais importantes de toda a história da arte. Infelizmente esse grande artista praticamente não fez sucesso algum enquanto estava vivo. Os problemas de depressão dos quais foi vítima, em vários momentos, se refletiram em sua obra, predominantemente impressionista.


Venha comigo conhecer um pouco da história  e genialidade deste grande artista que em vida, vendeu apenas uma única obra de arte e hoje é o maior nome da pintura mundial  e seus quadros estão entre os mais caros da História. Vicent Van Gogh continua encantando gerações com o seu brilhantismo em forma de pinceladas amarelas. Acompanhe sua história ouvindo a  canção composta em 1971 por Don McLean após ele ler a biografia de Vincent Van Gogh. O nome Starry Starry Night, vem do quadro "Starry Night Over the Rhone" de 1888, que é a primeira imagem do vídeo e outras obras riquíssimas deste grande artista! Emocionante...



BIOGRAFIA

Vincent Willem Van Gogh nasceu em meados do século XIX, mais precisamente em 1853, na Holanda. Começou a trabalhar muito cedo, por volta dos 15 anos de idade como comerciante de peças artísticas na loja de seu tio, na cidade de Haia, no país em que nasceu. Com 20 anos, Van Gogh foi morar em Londres e depois em Paris e logo sentiu que tinha vocação religiosa, de modo que chegou a estudar Teologia em Amsterdã.

    Vincent Willem Van Gogh                   

Van Gogh não se formou como teólogo, mas atuou como pastor durante alguns meses e, inclusive, chegou a dividir o pouco que tinha com as pessoas mais pobres, porque ficou comovido com a realidade delas. Essa mesma comoção levou Van Gogh a produzir os seus primeiros desenhos a lápis, representando a vida de mineiros belgas que eram extremamente pobres.
Os comedores de batatas (1885)

Em 1880, o artista que estava prestes a se descobrir resolveu voltar para a cidade de Haia, na Holanda e se dedicar mais à pintura. Suas primeiras telas trabalhavam muito com jogo de luzes e representavam o cotidiano das famílias camponesas que moravam no interior da Holanda. Alguns anos depois, em 1886, ele se mudou para a França onde foi viver com um irmão e teve a oportunidade de conhecer nomes importantes da pintura, como Edgar Degas, Emile Bernard e Paul Gauguin, todos eles representantes da corrente impressionista.

Como não podia ser diferente, Van Gogh recebeu as influências desses artistas que conheceu, de modo que as suas pinturas começaram a ganhar traços do Impressionismo. Ainda na França, ele se mudou para a cidade de Arles, no sul do país, que era muito rica em paisagens. Isso foi muito importante, porque lá ele produziu a única obra de arte que conseguiu vender enquanto era vivo, o quadro que chamou de “A vinha encarnada”,  logo abaixo... Um espetáculo de cores!

A Vinha Encarnada (1888) 
Trabalhando com pintura, Van Gogh sentiu a miséria bem de perto, passou fome e frio e chegou a viver em barracos. Sendo quase impossível se sustentar com a sua arte, um dos irmãos era quem o ajudava financeiramente, Theo, com quem tinha uma ligação bastante próxima.

Quando foi morar no sul da França, Van Gogh convidou Gauguin para ir com ele e o convite foi aceito. Os dois tiveram uma convivência bastante tranquila até um certo ponto, quando a agressividade começou a se manifestar. Há um relato de que Gauguin teria se envolvido com uma prostituta que era amante de Van Gogh que, ao descobrir, atacou o pintor a golpes de navalha.


Gauguin voltou a viver em Paris depois de uma sequência de conflitos e, logo em seguida, Van Gogh foi diagnosticado com depressão e chegou a cortar a sua própria orelha, um episódio que ficou muito conhecido, afinal, Van Gogh fez um auto retrato mostrando a face depois do ocorrido. Veja:

Auto-retrato com orelha enfaixada", de 1889.
O pintor holandês foi internado em um hospital e, posteriormente, em um asilo, mas mesmo assim não parou de pintar. No entanto, suas obras mudaram em decorrência do seu estado de saúde e a técnica do pontilhado, que era muito utilizada, foi substituída por pinceladas mais curtas e intensas, que depois deram lugar a curvas em espiral. 

Em 1890 ele sai do asilo e vai para uma cidade a noroeste de Paris e passa um período pintando intensamente. Mas acaba tentando suicídio ao atirar contra o próprio peito e morre dois dias depois disso, aos 37 anos de idade.


ARTE MARCANTE DO IMPRESSIONISMO/PÓS-IMPRESSIONISMO


Falando agora sobre o trabalho artístico de Van Gogh, ele foi um dos expoentes do impressionismo/pós-impressionismo. Essa corrente artística tinha algumas características marcantes, como por exemplo, a preferência por temas ligados à natureza, valorização da luz natural e da decomposição das cores e muito efeito de sombra.

Entre as obras produzidas por Van Gogh ao longo de toda a sua vida, algumas se destacam: “Os girassóis” (é uma das grandes obras-primas);
 Doze girassóis numa jarra (1889) 

“Os comedores de batata”; “Sorrow”; “A italiana”; “Autorretrato com chapéu de palha”; “Retrato do dr. Gachet”; “A casa amarela”; Terraço do café na praça do fórum”; “O velho moinho”; “O salão de baile em Arles” e outras.


Terraço do café na praça do fórum- (1888)

Como foi mencionado anteriormente, durante toda a sua vida, Van Gogh só conseguiu vender um quadro, no entanto, depois de ter falecido, suas obras começaram a fazer sucesso e serem cotadas em milhões de dólares, isso mesmo, milhões. No ano de 1990, por exemplo, o quadro “Retrato do dr. Gachet” foi vendido por nada menos do que US$ 82,5 milhões! O quadro tinha sido pintado exatamente 100 anos antes.


Retrato do Dr. Gachet (1890) 

Dono de um traço característico, com uma pincelada forte, visível até no resultado final, fazia pinturas com muitas cores e formas não representando a realidade literal dos objetos interpretados; Van Gogh foi o expoente de um estilo que, pode-se dizer, ele mesmo criou. A mistura de cores e formas é sem igual, difícil de ser copiada por outros. Ou, como certa vez chegaram a dizer: “você pinta como um louco!". Porque será?  Um gênio em uma vida triste e turbulenta que nos deixou uma obra riquíssima!  Qual a obra de Van Gogh que mais lhe emociona? Deixe registrado aí nos comentários,  que eu vou adorar!!
Van Gogh foi considerado um dos maiores pintores pós-impressionistas de todos os tempos 

Antes de sair , vá ao Van Gogh Museum e veja todas as obras deste grande e renomado artista! Até a próxima semana amigos!


Bibliografia do artigo - Imagens do Google imagens e sites abaixo relacionados:

https://alistadelucas.wordpress.com/2012/04/03/as-15-melhores-obras-de-van-gogh/
http://mestres.folha.com.br/pintores/01/obras.html
http://blog.pendurae.com.br/post/138200142954/principais-obras-van-gogh
https://www.google.com/culturalinstitute/beta/partner/van-gogh-museum
http://estoriasdahistoria12.blogspot.com.br/2014/02/analise-da-obraa-vinha-encarnada-de.html
http://www.infoescola.com/biografias/van-gogh/

8 comentários:

  1. Olá Adriana:
    que post interessante !!!
    gosto muito dos girassóis, talvez por causa da cor alegre..
    amarelo é sempre alegre, não é mesmo?
    a música é linda também, uma vez vi um pps com esta música e nunca me esqueci de sua imagem....
    este post faz pensar porque não valorizamos o que está em nossa presença, porque depois fica tão valioso ?
    grande abraço e uma feliz semana cheia de paz e saúde!!
    :o)
    Eliane

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde querida Eliane!!
      Ah, obrigada! Este post realmente me emocionou!

      Eu já conhecia um pouco da obra de Van Gogh, mas não tão a fundo a história de vida dele, que por sinal é bastante triste...
      Mas a tristeza o inspirou a criar obras belíssimas, encantadoras! Inclusive usava cores quentes e alegres em sua obras, em um contraste absoluto com sua vida tão cinzenta...
      Amarelo é uma das minhas cores favoritas querida, por isso que tenho o Girassol como símbolo do blog para transmitir alegria, vivacidade e motivação!!

      Eu que agradeço seu carinho e presença minha linda!!
      Tenha uma semana igualmente maravilhosa!
      Beijos! :))))

      Excluir
  2. Gênio mesmo, Adriana. E muitas vezes a tristeza é uma boa inspiradora. Ótima postagem. Bjs e boa semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sérgio, é espetacular a genialidade de Van Gogh e a história de vida dele prova o quanto foi atormentado. E como você disse, todo esse tormento e tristeza transformou-se em obras belíssimas, riquíssimas e de valor artístico inestimável!!

      Obrigada pela presença e carinho amigo!
      Maravilhosa semana!
      Beijos!! :)))

      Excluir
  3. Gosto de apreciar estas obras, me fazem viajar... Fico encantada que numa época de tão poucos recursos, se criava tanto na música, na pintura, na escultura... Infelizmente, a maioria destes talentos partiram de forma triste e sem reconhecimento.
    O interessante é que o psicológico sempre se manifesta no trabalho manual e quem tem um olhar atento, capta isso.
    Não curto muito "os retratos", embora gosto muito de admirar as pinceladas. Agora, as paisagens e os registros da vida me chamam a atenção, como "Os Comedores de Batatas" e "A Vinha Encarnada".

    Espero que fique bem logo. Passamos por períodos nublados para o sol voltar a brilhar mais intensamente.
    Abraços esmagadores e feliz dia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia minha querida Poções de Arte!!
      Ah, nada melhor do que procurar refúgio, nos dias difíceis, nas obras de arte ou também na música. As músicas clássicas são maravilhosas para curar a dor, assim como os traços artísticas estampados em cores dos grandes mestres do Impressionismo!

      Sim, concordo totalmente com você pois nos tempos mais bicudos dos séculos passados é que a Arte mais se destacou em obras belíssimas. Geralmente os pintores ou criadores da arte musical eram gênios com vida tumultuado e muito precária... Morriam jovens e miseráveis, sem saber que suas obras tornar-se-iam peças valiosíssimas a posteriori.
      Sim querida, o psicológico sempre envolve muito né amiga?
      Eu mesma, quando abada neste sentido, prefiro a reclusão ou o silêncio, este último, quando a reclusão não é possível, para curar e deixar passar a angústia...

      Do Van Gogh gosto dos quadros onde o amarelo é mais evidente. No meu caso adoro os traços dos Girassóis, uma vez que o Girassol é o mascotinho do Vivendo Bem Feliz...rsrs Por isso que adoro!!! Mas a Vinha Encarnada é maravilhosa e tem cores vibrantes que saltam aos olhos!!!

      Devagarinho vai passar querida, são fases e tudo após retorna à normalidade!
      Muito obrigada pelo carinho e apoio!!
      Muitos beijos e uma semana mais do que maravilhosa! :)))

      Excluir
  4. Amei o post, li escutando a música conforme você aconselhou, hehe
    Fantástico, eu conhecia as obras dele mas não sua história. A obra que eu mais gosto é "A Noite Estrelada", é a mais famosa né rsrs...
    Sinto ao apreciá-la que ela está em movimento e toda em iluminada, coisa que não consigo perceber normalmente preferindo sempre o dia por causa do sol e do céu azul.
    Mas Van Gogh me ensina a ver a luminosidade da noite, suas estrelas e a Lua, sim a noite também é luz. A Arte nos alimenta, nos faz ver o que antes não víamos.
    Parabéns, adorei!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Larissa!! Muito boa noite querida!
      Ler o post escutando a canção nos leva a outro mundo nua é mesmo?é
      Conseguimos até sentir a atmosfera de quando as obras de Van Gogh foram confeccionadas...

      A história dele é repleta de dias difíceis, de problemas de saúde e financeiros...
      A depressão o assolou por longos anos e ele depositava nas obras, toda a sua solidão, a sua angústia... Gerou obras belíssimas por conta disso...
      Si, é fantástica a obra "A Noite Estrelada".Também é uma das minhas favoritas! A que ocupa o primeiro lugar na minha vida é a obra dos "Doze girassóis numa jarra" ( por motivos óbvios! rsrs Adoro o amarelo, as cores, a vida que ela transmite! :)))
      Adorei o que disse de que a "A Arte nos alimenta". Concordo plenamente!!

      Muito obrigada pelo carinho da presença querida!
      Desejo uma semana maravilhosa!!
      Beijos!! :)))

      Excluir

Fique à vontade para expressar seus sentimentos e sugestões.
Você é sempre muito bem-vindo(a)! Obrigada e Abraços!

Tecnologia do Blogger.